sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Verdade subjetiva

Seria estranho se a vida não fosse rechada de mudanças de rumo e de planos. Mudança de endereço, de aspiração profissional, mudanças boas, ruins, fases e mais fases dessa etapa tão cheia de surpresas que é a vida.

É impossível imaginar a vida sem mudanças, por mais duras e penosas que sejam. Até o fim de nossa existência atual, ainda teremos infinitas novas oportunidades de crescimento e de testar nossa permanência na prática do bem. Cada instante é uma oportunidade e um risco.

Mas por que a vida é assim? Para que tantas mudanças, surpresas e decepções? Por quê? Por quê? Por quê? A zona de conforto é aquela agradável coisa morna que não muda e também não perturba. Por que mudar então???

Aventurar-se, na acepção adequada e coerente do termo, pode significar simplesmente a tomada de consciência de si próprio. Evitar perder a si mesmo em meio ao inevitável do inesperado. É testar a força e a capacidade, por mais doloroso que seja. E, cá entre nós, foram nossas mudanças e nossas escolhas que nos permitiram chegar ao que chegamos hoje. Está bom? Agradeça! Está ruim? Agradeça por ter percebido e bola prá frente!

O olhar para trás nos dá a compreensão da vida. Não há outro meio. Para vivê-la, olhar para frente é também o único meio. Não há crescimento sem angústia e não há como cair nas mãos de Deus sem coragem. E, em meio a tantas perdas de equilíbrio e tombos, ainda podemos manter em nós o desejo extremo de continuar prosseguindo. Porém, penso que para um progresso duradouro, coerente e fiel a nós mesmos e aos que amamos, alguns itens podem ser fortalecidos em nossos corações.

O primeiro deles é o desenvolvimento da capacidade de escutar as pessoas. Melhor: saber escutar os recados da vida. Quantas vezes, em meio às dificuldades da existência, escutamos um bom conselho em uma música, em uma conversa despretensiosa no supermercado ou em uma propaganda na televisão? A vida está permanentemente nos dando recados e lições. Abrirmos nossos ouvidos a isso é libertador!

Muitas vezes também esquecemos do talento pessoal. Não existe sequer um ser humano que não saiba fazer alguma coisa bem feita! Seja a prática de um esporte, cozinhar ao ser amado, a prática do seu ofício ou até mesmo saber bater um bom papo e ajudar aos que precisam. Todos temos um talento pessoal e saber abrir-se a isso é igualmente enriquecedor.

Ah, a fé! Não há nada que nos fortaleça mais que manter a esperança e acreditar no processo da vida! É sempre assim: surgem várias situações que nos parecem o fim do mundo e, depois, tudo se ajeita, tudo se acalma e a vida segue o seu curso. A intenção da vida é nos conduzir à felicidade sempre!

Por fim, me parece que o aprendizado constante é bem interessante para mantermos o gosto pela vida. Sempre haverá novos aprendizados e novos caminhos. E através dos novos conhecimentos, criamos novas oportunidades.

Vamos começar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário